terça-feira, setembro 04, 2007

84- MEUS QUINZE MINUTOS DE FAMA

Instado pelo post do Paulo Brabo em 20 de agosto de 2007, vou contar-lhes sobre os meus 15 minutos de fama. Eu já os tive. Duraram seis meses.
Foi assim. Um dia fiquei sabendo que o recém eleito prefeito de minha cidade havia convidado um amigo meu para que implantasse um departamento pioneiro no Brasil: a Secretaria da Criança e do Adolescente - SEMEAR.
Entusiasmado com a relevância do papel que meu amigo estava prestes a assumir, telefonei-lhe, parabenizando-o e aproveitei para, na brincadeira, pedir-lhe um emprego. Ele, sério, respondeu: “venha falar comigo”. Fui, e saí contratado para ser seu assessor!
O trabalho foi insano e gratificante. A recém criada secretaria tinha apenas 2% do orçamento municipal, mas começou projetos, programas e idéias ousadas, pioneiras e relevantes.
Depois de dois anos à frente da SEMEAR, o prefeito pediu que o secretário assumisse a Secretaria de Educação e Cultura, a maior da Prefeitura. Obviamente ele aceitou mais esse desafio, onde fez também um ótimo trabalho. A novidade foi ele ter me indicado para substituí-lo, e o incrível foi o prefeito concordar, em caráter transitório! Assim, no dia 01 de julho de 1995, tornei-me Secretário Municipal da Criança e do Adolescente de Sorocaba.
Fui importante por seis meses. Era entrevistado por jornais e rádios, cumprimentado na rua, tinha carro e motorista à disposição, mencionavam meu nome quando estava presente em qualquer solenidade, tinha assento à mesa das autoridades.
Depois, no início de 1996, questões políticas me levaram de volta à doce situação de plebeu. Mas valeu, e muito. Foi uma experiência rica e valiosa. Posso dizer, porém: ser “famoso” não tá com nada!!!

4 comentários:

Paulo Brabo disse...

Olha só, um microsalvamento de seis meses! Mas você fez bem em descer do palco antes de começar a chamar o cargo de "my precious"...

guido finizia disse...

..mas podemos sempre dar por inevitável a corrupção das almas?! ,..eu preciso desesperadamente acreditar no final feliz das historias,nao aguento mais o realismo que esta se tornando um mal igual a tantos outros.
De qualquer jeito foi uma historia bonita Rubens

Alysson Amorim disse...

Concordo com o Brabo. Fez bem em descer do palco antes do cargo consumí-lo. O poder corrói.

Abraços

FChagas disse...

Ah, meu caríssimo! Seo chico da budega ja disse em verso e prosa: A fama mama no ego, enfeita a alma que que declama. Quem aceita corre o risco de perder quem ama." tu precisa ver esse véio falando...
Um grande abraço