quinta-feira, março 01, 2007

65- BOLA NO PEITO

Gosto muito de tênis – o jogo. Quando jovem jogava sempre que conseguia uma quadra e um parceiro. Durante os primeiros anos, minha raquete era uma “Procópio” de madeira. Ruinzinha, mas dava pro gasto. Quando morei nos EUA tive a chance de comprar umas raquetes melhores e baratas. Assim, pude convidar meus primos (que não tinham raquete) pra jogar comigo. Um deles era tido e havido como “fortão”, fama recebida por muitas razões, uma das quais descrevo abaixo.

Um dia, fomos eu e dois primos para as quadras da Cidade Universitária, em São Paulo. chegando, procuramos alguém com quem pudéssemos jogar duplas. Encontramos um japonês, um tanto magro, que se dispôs a formar dupla conosco.

Começamos o jogo, e aos poucos foi ficando mais “aquecido” e disputado. Num dado momento, o japonês, apertado por um bola difícil, devolveu-a alta, na esquerda do primo “fortão”. O que ele não sabia era que meu primo, além de forte – o que nem desconfiava – era também habilidoso com a esquerda. Ao ver a bola vindo alta na sua esquerda, jogou a raquete da mão direita para a esquerda e acertou um forte “smash” no campo adversário. A bola saiu com tal força e velocidade que os oponentes não tiveram chance de reação. Acertou em cheio o peito do pobre japonês, que caiu, com um gemido, e sem ar, sentado no chão da quadra.

Nada de mal aconteceu ao rapaz, mas quando se recuperou, perguntamos se havia machucado, e ele mostrou um círculo muito vermelho bem no centro do peito, que com o tempo, certamente ficaria roxo. Match point!!!

2 comentários:

Lou Mello disse...

Essa me lembra uma outra história envolvendo um japonês. O narrador ia mencionando, a todo momento, os pêlos do japonês até que o idiota não se conteve mais e perguntou: Mas, desde quando japonês tem pêlos? Foi bom você esclarecer que japonês tem peito, sim senhor.

alealb disse...

:)
fiquei imaginando a cena... muito bom!
beijos,
alê