sábado, abril 22, 2006

"Daquilo que eu sei..." de Ivan Lins/Vitor Martins

Daquilo que eu sei
Nem tudo me deu clareza
Nem tudo foi permitido
Nem tudo me deu certeza

Daquilo que eu sei
Nem tudo foi proibido
Nem tudo me foi possível
Nem tudo foi concebido

Não fechei os olhos
Não tapei os ouvidos
Cheirei, toquei, provei
Ah! Eu usei todos os sentidos

Só não lavei as mãos
E é por isso que eu me sinto
Cada vez mais limpo
Cada vez mais limpo...

2 comentários:

Rubinho Osório disse...

Aos 54 anos, sei muito pouco. Talvez me sirva de consolo a idéia de, pelo menos, ter tentado, me esforçado, provado, sentido.
Esta linda canção do Ivan Lins explica a razão do meu esforço em lembrar o passado (bom e ruim) e querer partilhá-lo com voces.

Lou disse...

Li no Evangelho Maltrapilho a frase "Ser inteligente o suficiente para admitir a própria ignorância ou honesto o suficiente para admitir a própria canalhice." Precisamos compartilhar nossas experiências para melhorar as próximas gerações.

Evangelho Maltrapilho - Brennan Manning - Textus