segunda-feira, agosto 28, 2006

39- GATO ATROPELADO

Os filhos tinham 4 e 5 anos de idade. Nessa idade não há como fugir de ter um gatinho na casa. Era um gato comum, filhote ainda e ficava no quintal da casa, esperando receber atenção de qualquer um que passasse por perto.
Estávamos atrasado para algum compromisso. As crianças estavam fora (na escola ou outra atividade). Saímos apressados e, ao dar ré no carro, para tirá-lo da garagem, senti algo estranho sob o pneu, ao mesmo tempo que ouvi um miado abafado... Parei preocupado fui ver o que havia acontecido. O gato estrebuchava em convulsão. Não havia nada a fazer (nem tempo pra isso). Deixei o corpo do bichano num canto da garagem e fomos embora.
A única preocupação foi a de voltar antes das crianças. Eles não poderiam ver aquele gatinho morto, seria muito triste. Precisava me descartar do corpo; se o gato simplesmente sumisse, poderíamos arrumar outro mais tarde, sem grandes traumas.
Mas, qual foi a nossa surpresa, o bicho não estava mais lá! Mais tarde ele apareceu, com fome e aparentemente normal.
Não sei se os felinos tem sete vidas, mas que este teve pelo menos duas, teve!

4 comentários:

Lou disse...

O gato dos meus cunhados caiu do décimo terceiro andar, alguns anos atrás e está vivinho da silva e sem sequelas, até agora.

Vilma disse...

puxa.. estava a ler a história e a ficar ultra triste quando de repente o final muda!
è verdade mesmo.. os gatos tÊm sete vidas!

Hernan disse...

Outro dia passei por cima de um gato com uma moto. Não sei se ele viveu nos dias seguintes, mas na hora ele não morreu.

JOINCANTO disse...

Mas nem sempre os gatos sobrevivem. A vida é mesmo assim.
Uns gatos sobrevivem outros morrem.