quinta-feira, agosto 03, 2006

36- CRIANÇAS

Nossos filhos são nosso maior tesouro, dizem. Concordo. E acumulamos jóias preciosas na memória, daquilo que nossos filhos foram ou fizeram, a cada etapa da vida. O álbuns de fotografia nos trazem à lembrança fatos e situações ternas ou hilárias que guardamos com carinho no coração. Outros fatos não estão registrados em imagens, mas temos nítida lembrança deles. Eis alguns:
1- Recém engatinhando, levamos nossa filha pela primeira vez à praia. Ela adorou!!! Curtiu o mar, apesar de insegura, as ondas e tudo o mais. Estendemos uma esteira na areia para que ela tomasse um pouco de sol. Depois de alguns instantes distraída com os brinquedinhos que a acompanhavam, ela se dá conta do espaço imenso à sua volta, e resolve engatinhar. Chega à beira da esteira e olha curiosa e interessada para a areia fina e branca da praia. Então, lenta, mas firmemente, leva a palma da mão até a areia, toca-a e retrai... O movimento é rápido, como se tocasse ferro quente, o corpo e o rosto arrepiam-se e transparecem surpresa, nojo, o inesperado. Olha para a palma da mão, vê a areia e limpa-a na esteira. Repete o movimento em direção à areia, lenta e firmemente. Novo arrepio. Pai e mãe lutam para não explodir em gargalhadas, interrompendo assim o momento mágico da descoberta. Inútil. Na terceira vez não há como resistir. Inesquecível!
2- Chegada a fase de diversificar a alimentação, procurávamos dar coisas diferentes aos filhos, com reações opostas. A menina, precavida, tinha a tendência a dizer que não gostava de tal comida antes mesmo de provar. Seu irmão tinha reação diferente: aceitava experimentar a novidade. Ao primeiro bocado, ele fazia uma careta como se não tivesse gostado, chegando, às vezes, a se arrepiar. Mastigava a comida, engolia e quando perguntado se queria mais... aceitava! Era tão divertido que chegávamos a dar-lhe novidades para experimentar só pra curtir essa reação tão contraditória. Hoje, com mais de 20 anos, ainda gosta de experimentar novos sabores, mas não faz mais aquela cara engraçada!

3 comentários:

Lou disse...

Lindas lembranças cara. Valeu a pena e continua valendo, né?

Hernan disse...

Meu filho tem 2 anos e 5 meses. Também guardo momentos inesquecíveis de graça e alegria. Apesar das dificuldades e bom ser pai! Deus que o diga!

rica-o filho disse...

É pai... acho q era uma estratégia de auto-engano, esperava pelo pior e talvez por isso gostava tanto de tudo q experimentava...heheheh