segunda-feira, abril 30, 2007

71- QUEBRANDO A CARA

A escola onde estudei do 4º ao 8º ano do ensino fundamental era uma tradicional escola privada paulistana, à qual só tive acesso porque meu pai tinha desconto, pois era pastor presbiteriano e a escola (a famosa Universidade Mackenzie) pertencia à igreja.
Uma das suas grandes vantagens era ter um bom conjunto de equipamentos esportivos, pois eram todos utilizados tanto pelo ensino fundamental como pelo médio e superior, campo de futebol, quadras esportivas, ginásio coberto, salão de ginástica; só faltava a piscina.
Duas vezes por semana minha classe tinha aula de educação física com o professor Progresso, grande sujeito. Eu adorava estas aulas, até fiz parte da equipe de ginástica olímpica da escola que participou de jogos escolares. Cheguei a ganhar medalhas, não individual, mas por equipe.
Uma vez estava em pleno jogo de futebol no campo. A bola “sobrou” no meio do campo, sem ninguém por perto, parecia “sem dono”. Desatei a correr em sua direção – era bem veloz na época – e percebi que um jogador adversário também corria, perpendicular a mim, em direção à bola. Chegamos no mesmo instante. Imaginei uma jogada fenomenal: dar um leve toque pra frente com a ponta do pé, deixar o adversário passar zunindo, e sair com a bola passando por trás dele. Beleza!
Mas não deu certo. Toquei a bola antes, mas o carinha já estava em cima, e não pudemos evitar o choque. Bati o rosto no ombro dele e – fiquei sabendo no hospital - quebrei o maxilar superior!!! A história de “como eu dei um drible fenomenal” virou “como fui parar no hospital por causa de um drible que deu errado”. Com cirurgia e tudo. Coisas da vida, né?

2 comentários:

Lou Mello disse...

É, faz pensar. Boas intenções só, não resolvem. Precisa acertar o drible sob o risco de ir para o hospital Espero que na vida espiritual as boas intenções resolvam a fatura.

Alex Liki disse...

Hahahaha! Já perdi a conta de quantas vezes isso me aconteceu...
As vezes tenho a certeza de que a nossa vida é um filme, e que são momentos como estes que valem a pena serem revistos. :)