segunda-feira, abril 23, 2007

70 - A EMOÇÃO DO TANGO

Fomos, meio de sopetão, para Buenos Aires. Pela primeira vez, Elaine e eu estávamos juntos em terras portenhas.
Passeamos muito, considerando os poucos dias que estivemos lá. Visitamos o centro da cidade, “La Calle Florida”, parques, teatros, “El Caminito”, e outros lugares interessantes.
O que marcou mais foi a apresentação de dança que pudemos assistir uma noite. Uma interessante mistura de dança, música e teatro grego e portenho. Há muitos anos não assistia uma apresentação de boa dança ao vivo, num bom teatro, e isto me dava um prazer extra.
A parte mais argentina da dança era principalmente baseada em músicas de Astor Piazzola, o grande músico de Buenos Aires. Num certo momento, como era de se esperar, tocaram “Adiós Nonino”, talvez a mais famosa composição do autor.
Ouvi-a com prazer. Mas a música, aliada à dança adquiriu um tom mais forte, tocante, e fui me emocionando aos poucos, a ponto de lágrimas rolarem pela face. Foi o ponto alto da apresentação. Saí do teatro renovado, leve, inspirado. Como a música e a dança, quando feitas com amor e competência falam à alma!
Buenos Aires tornou-se mais querida por ter-me proporcionado esta linda experiência. Espero poder voltar um dia...

Um comentário:

Lou Mello disse...

Se por um lado eles não se renovam, por outro, sempre que formos lá poderemos ver esses belos espetáculos. Por aqui, é impossível pensar em tal possibilidade.